Memória do Mundo: vitória da candidatura do Brasil

Fonte: Ascom do Arquivo Nacional

O projeto “Rede de informações e Contrainformação do Regime Militar no Brasil (1964-1985)”, apresentado pelo Brasil, foi aprovado pelo Comitê Consultivo Internacional do Programa Memória do Mundo (MoW – Memory of the World).

A aprovação do projeto foi recomendada pelo Comitê Consultivo Internacional do Programa Memória do Mundo, que se reuniu em Manchester (Reino Unido), no período de 22 a 25 de maio. A UNESCO criou este Programa em 1992 com o objetivo de preservar e difundir amplamente documentos, arquivos e bibliotecas de grande valor mundial, buscando impedir, assim, que o patrimônio da humanidade seja esquecido. Em toda a história do programa, apenas um projeto brasileiro tinha sido aprovado anteriormente, em 2003.

A candidatura ao Memória de Mundo foi elaborada pelo Arquivo Nacional e por outras entidades parceiras do Centro de Referência das Lutas Políticas no Brasil (1964-1985) – Memórias Reveladas, incorporando fundos de órgãos centrais do SISNI – Sistema Nacional de Informação, custodiados pelo Arquivo Nacional, e de órgãos de informação dos estados da Federação, estes custodiados por arquivos estaduais.

Foram contemplados os seguintes acervos: Serviço Nacional de Informações; Comissão Geral de Inquérito Policial-Militar; Comissão Geral de Investigações; Conselho de Segurança Nacional; Delegacia de Ordem Política e Social do Ceará; Delegacia de Ordem Política e Social do Espírito Santo; Delegacia de Ordem Política e Social do Maranhão; Delegacia de Ordem Política e Social do Paraná; Delegacia de Ordem Política e Social de Pernambuco; Departamento Autônomo de Ordem Política e Social do Estado do Rio de Janeiro; Departamento de Ordem Política e Social de Goiás; Departamento de Ordem Política e Social de Minas Gerais; Departamento de Ordem Política e Social do Estado da Guanabara; Departamento Estadual de Ordem Política e Social de São Paulo.

Os acervos referidos estão sob a guarda do Arquivo Nacional e de parceiros do Memórias Reveladas, a saber:

Arquivo Público do Estado do Ceará;

Arquivo Público do Estado do Espírito Santo;

Centro de Informação e Documentação Arquivística da Universidade Federal de Goiás;

Arquivo Público Estadual Jordão Emerenciano (PE);

Arquivo Público do Estado do Maranhão;

Arquivo Público Mineiro;

Departamento Estadual de Arquivo Público do Paraná;

Arquivo Público do Estado do Rio de Janeiro;

Arquivo Público do Estado de São Paulo.

O Memórias Reveladas foi criado em 2009, e sua gestão foi confiada ao Arquivo Nacional. O Centro conta hoje com 55 instituições e entidades parceiras, incluindo diversos governos e arquivos estaduais, universidades e centros de documentação. O Memórias Reveladas tem por objetivo atuar como um pólo difusor de informações contidas nos registros documentais sobre as lutas políticas no Brasil nas décadas de 1960 a 1980.

A vitória da candidatura do Brasil garante visibilidade a esses importantes acervos, contribuindo para a sua preservação na medida em que chama a atenção do poder público e da sociedade brasileira para a necessidade de proteger e tornar disponíveis para consulta os arquivos do período do regime militar.

Por outro lado, aumenta também a responsabilidade das instituições pela guarda e difusão das informações contidas nesses documentos, “para que não se esqueça, para que nunca mais aconteça”.

Esta entrada foi publicada em Uncategorized. ligação permanente.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s